Sem ABA, III Fórum da Produção Publicitária acontece em novembro

novembro 3, 2011

A Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap), a Associação Brasileira da Produção de Obras Audivisuais (Apro) e a Associação Brasileira das Produtoras de Fonogramas Publicitários (Aprosom) apresentaram na manhã desta segunda-feira, 31, o programa do III Fórum de Produção Publicitária, que acontece em 23 de novembro, em São Paulo, e comentaram a decisão da Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) de deixar o evento devido ao apoio das agências e produtoras à Medida Provisória 545, que estabeleceu mudanças na Condecine que entram em vigor a partir de janeiro de 2012.

A MP, além de reajustar os valores da Condecine para obras brasileiras e estrangeiras, estabelece que deve deixar de existir a figura da obra audiovisual publicitária estrangeira adaptada, que será classificada como estrangeira para cálculo da Condecine; exige a adaptação das obras estrangeiras veiculadas no país ao português por uma produtora brasileira registrada na Ancine; e limita o número de adaptações de uma obra publicitária original. Em comunicado lançado na última sexta-feira, 28, a ABA apontou “profunda divergência entre os interesses dos anunciantes, que lutam pela contínua redução dos custos, com elevação da qualidade e o aumento da liberdade em produzir as peças audiovisuais publicitárias da forma mais conveniente ao momento atual da comunicação, e os do chamado mercado da produção, que trabalha para que não se eliminem restrições e privilégios, para a preservação de processos e de práticas arcaicas e para a manutenção de padrões de rentabilidade sem a devida renovação de produtividade que os novos tempos impõem.”.

Para Luiz Lara, presidente da Abap, o caminho para a solução destas “divergências” levantadas pela ABA é o diálogo. “Uma MP é lei e tem que ser respeitada”, disse. Ele lembra que outros setores da economia também fazem atualizações permanentes para acompanhar a evolução do mercado. “A propaganda faz parte da cultura nacional e o cinema brasileiro floresce graças à publicidade”, lembra. Sônia Regina Piassa, diretora executiva da Apro, observa que o governo entendeu que estava criando um problema para a indústria nacional. “As equipes estão se ressentindo”, afirma. Leyla Fernandes, presidente da APRO, destaca que a ABA está se retirando do Fórum por esta questão da Condecine, mas o o Fórum é maior do que este assunto.

Programação

O objetivo do evento é o aperfeiçoamento de questões referentes à cadeia produtiva da produção audiovisual de publicidade, em particular comerciais para televisão, rádio, cinema, mídias interativas e imagens para anúncios de mídias impresas. O III Fórum da Produção Publicitária acontece em São Paulo, no Renaissance Hotel, no dia 23 de novembro, e deve contar com a presença de autoridades do audiovisual e debater temas como burocracias, criação, novas mídias e padrões para a entrega de conteúdo no formato digital.

Paralelamente ao Fórum, a Apro e a Apex prmovem a sexta edição da ação FilmBrazil Experience, em que profissionais do mercado internacional são convidados a vir ao país conhecer a estrutura e os pólos de produção audiovisual. Para este ano, foram convidados profissionais dos Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha.

Ana Carolina Barbosa.
Fonte: Tela Viva

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: