ANCINE e FINEP divulgam projetos selecionados nas Linhas A e B do Fundo Setorial do Audiovisual

novembro 10, 2011

FSA investirá R$ 53,98 milhões em 64 projetos audiovisuais para o cinema e a televisão

 

O diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, os diretores da agência, Glauber Piva e Vera Zaverucha, e o representante da FINEP, Renato Jevoux, anunciaram hoje no Rio de Janeiro a relação de 43 longas-metragens e 21 obras seriadas de televisão que receberão recursos do Fundo Setorial do Audiovisual este ano. Estiveram presentes no auditório da agência produtores e diretores de obras para salas de cinema, que receberão um aporte de R$ 34 milhões, e de televisão, que receberão R$ 19,98 milhões para a realização de séries.

Ao fazer um balanço das três convocatórias do FSA, lançado em 2008, o diretor-presidente da ANCINE destacou o amadurecimento das relações entre as produtoras independentes e os canais de televisão, assim como a aprovação de uma cartela bastante variada de projetos. Este ano, segundo Rangel, “há uma diversidade expressiva de gêneros, de gerações e de regiões do país contempladas pelo Fundo com a presença de oito diferentes estados da federação na linha A e uma significativa presença de obras de animação na Linha B”.

Com R$ 34 milhões disponíveis para investimento na produção de longas-metragens, incluindo projetos de coprodução internacional, a Linha A teve 174 propostas habilitadas, sendo que 54 projetos de 48 empresas produtoras foram convocados para a última etapa de seleção, a Defesa Oral. Desses, foram selecionados 43 projetos, apresentados por 40 produtoras diferentes.

Esse número representa mais da metade da média de lançamentos anuais de longas-metragens nacionais nas salas de cinema, o que reflete a importância do FSA para o fortalecimento da produção cinematográfica brasileira e para a ampliação de sua competitividade nos mercados interno e externo.

Os números também revelam o potencial do FSA no que tange ao estímulo à diversidade, não apenas geográfica, mas também de gêneros e propostas, permitindo que diferentes públicos sejam alcançados. A Linha A do FSA estimula ainda a desconcentração econômica, que se reflete no número de produtoras contempladas. E, por meio do indutor regional, fica garantido o apoio a produções de mais estados brasileiros.  Nesse processo seletivo, oito unidades da federação estão representadas.

Produção independente para televisão – A Linha B vai investir R$ 19,98 milhões em produção independente para televisão. Nesta chamada, 41 propostas foram habilitadas e 31 participaram da Defesa Oral. Foram selecionados 21 projetos, apresentados por 19 produtoras. Os programas selecionados têm sua primeira exibição garantida em oito emissoras de TV aberta e programadoras de TV por assinatura, sendo três públicas (TV Cultura, TVE Bahia e TV Brasil), uma privada de sinal aberto (TV Record) e quatro de sinal fechado (A&E, Ole Networks, Canal Brasil, TV Esporte Interativo e History Channel).

As propostas contempladas na Linha B dialogam com diferentes públicos: são sete séries documentais, onze séries de animação e três séries de ficção. As 19 empresas produtoras responsáveis pela realização das obras têm sede no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul e Paraná. Houve significativa evolução no número de projetos apresentados, na quantidade de empresas proponentes e também na diversidade das parcerias entre as produtoras independentes e as TVs brasileiras, mostrando que cada vez mais empresas se comprometem com a produção independente e acreditam na sua viabilidade.

Segundo o diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, o anúncio desses resultados encerra com sucesso mais um ciclo de chamadas públicas do Fundo Setorial do Audiovisual: “Os resultados das Linhas A e B do Fundo Setorial do Audiovisual refletem o compromisso do Governo em estimular uma indústria do audiovisual robusta em diferentes pólos regionais. A cada ano, aumenta a quantidade e a qualidade das propostas recebidas nas chamadas públicas, o que comprova o êxito do Fundo e mostra a importância de sua continuidade. Com a aprovação da Lei 12.485, que cria novas regras para o mercado de TV por assinatura, a importância do FSA será ainda maior.”

Veja aqui os projetos selecionados.

 

Fonte: ANCINE

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: